(antigo, escrito em fevereiro, no carnaval preguiçoso em que lemos, cozinhamos, dormimos no parque, limpamos a casa)


deve haver modos mais eficazes
de espantar a segunda de carnaval
sovar o pão feito com pouco fermento
procurar
entre as panelas algo que sirva
uma fôrma
no lugar daquela retangular
há muito perdida
colar os tacos soltos da sala
com cola branca pincel
deslocar móveis pesados sobre eles
para que não saltem jamais
do chão
se estirar
onde o sol faz um quadrado imperfeito
às onze no quarto
disputar com os gatos
esta soleira
pôr-me sob os raios com seu livro
ler com os olhos quase fechados
que é para não saber
exatamente a palavra
que a luz não me deixa ler

Nenhum comentário: